HOME

Para todos os garotos que já amei - Jenny Han

Publicado em 25/02/2016 às 15h21

Editora: Intrínseca

Autora: Jenny Han

Número de Páginas: 320

Classificação: ♥♥♥♥♥

Onde comprar:  Amazon / SaraivaSubmarino

Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos.
Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.

                Lara Jean é uma personagem doce, que ama as irmãs, apaixona-se facilmente e prefere sempre ver o lado bom das coisas. A sua vida continua a mesma durante muitos anos, ela tem sempre a mesma melhor amiga, adora ficar em casa com a família, dedica-se ao colégio, não se mete em nenhuma encrenca e sempre está apaixonada por algum garoto. Quando a paixão por esse garoto acaba, ela escreve uma carta de despedida e a partir daí é “bola para frente”. Como se essas cartas fossem um “ritual” para avisar ao próprio coração que aquele rapaz não é mais bem vindo ali. Para cada garoto ela escreve uma carta a as guarda em uma caixa. Até que um dia, essas cartas são misteriosamente enviadas aos destinatários e a partir desse momento, a vida dela nunca mais será a mesma!

                Confesso que decidi ler esse livro, pois queria algo leve para ler no verão, acredito que esses romances combinam demais com essa época do ano. Nos primeiros capítulos, percebi que era um romance bem “mimimi” e já fiz uma previsão de como seria toda a história na minha cabeça, afinal esses romances são sempre bem previsíveis. No entanto, a Jenny Han me surpreendeu e muito! A história inteira foi romance, mas nada do que eu tinha previsto.

                Um dos pontos altos dessa história é exatamente esse, ela não é previsível e Lara Jean se mete em muitas enrascadas que são verdadeiras, sabe? Não é aquele tipo de história perfeita do início ao fim. Existem muitas surpresas na vida dela, como é na vida real.

                Além da imprevisibilidade, da veracidade da história comparada ao que todos nós vivemos hoje e da lindeza que é o romance que se desenvolve nesse livro, alguns outros detalhes e acontecimentos ganharam meu coração. O primeiro foi o fato da Lara Jean ter descendência coreana, isso nos possibilita conhecer um pouco de uma cultura nova e isso é maravilhoso. A maioria de nós (jovens leitores) lemos livros com cultura americana, principalmente. Algumas vezes, há também influência da europeia e brasileira (para quem lê literatura brasileira), mas ter um pouquinho de um lugar onde tudo é bem diferente do que vivemos é mágico e essa é uma das melhores maravilhas que os livros nos proporcionam.

                O segundo detalhe que me agradou e esse foi bem pessoal, foi o fato da Lara Jean ter duas irmãs, pois eu também tenho duas irmãs. No livro, a irmã mais velha é a mais preocupada com as outras, a do meio (personagem principal) é a encantada com o mundo e a menor é a mais sapeca. Não sei se isso é igual em todas as famílias, mas na minha é exatamente assim, sem tirar, nem pôr. Então, esse foi um lado pessoal meu que foi maravilhoso poder ler em um livro, mostrou-me até o quanto tenho saudades de quando morava com as minhas irmãs!

                Portanto, pude definir esse livro como um romance “mimimi” na medida certa, com surpresas e acontecimentos que ganharam meu coração! Por enquanto, essa foi a minha melhor leitura de 2016. Se eu indico? Óbvio!

“Minha mãe dizia que o otimismo era minha melhor qualidade... ver o lado bom da vida nunca matou ninguém”. Pág. 76

“-Você precisa relaxar, Lara Jean. A vida não precisa ser tão planejada. Deixe rolar e veja o que acontece”. Pág. 110

 

                Quem leu e também se encantou por essa história? E quem não leu tem vontade de ler? Comentem! Beijos ♥

Comentários (2)

O lado feio do amor (Ugly love) - Colleen Hoover

Publicado em 16/02/2016 às 16h00

Editora: Galera Record

Autora: Colleen Hoover

Número de Páginas: 336

Classificação: ♥♥♥♥

Onde comprar:  Amazon/ Saraiva / Submarino

Quando Tate Collins se muda para o apartamento de seu irmão, Corbin, a fim de se dedicar ao mestrado em enfermagem, não imaginava conhecer o lado feio do amor. Um relacionamento em que companheirismo e cumplicidade não são prioridades. E o sexo parece ser o único objetivo. Mas Miles Archer, piloto de avião, vizinho e melhor amigo de Corbin, sabe ser persuasivo... apesar da armadura emocional que usa para esconder um passado de dor. O que Miles e Tate sentem não é amor à primeira vista, mas uma atração incontrolável. Em pouco tempo não conseguem mais resistir e se entregam ao desejo. O rapaz impõe duas regras: sem perguntas sobre o passado e sem esperanças para o futuro. Será um relacionamento casual. Eles têm a sintonia perfeita. Tate prometeu não se apaixonar. Mas vai descobrir que nenhuma regra é capaz de controlar o amor e o desejo.

     Tate Collins está se mudando para a casa do irmão para iniciar seu mestrado. Quando ela se muda, leva consigo todas as suas expectativas e não imagina que irá conhecer Miles Archer. Quando eles se conhecem a atração é instantânea e incontrolável, mas desde o início é visível que Miles tem dificuldades em se relacionar e se entregar a paixão, por isso, eles estabelecem que será apenas um relacionamento casual e sem envolvimentos amorosos.

     O livro é estruturado da seguinte forma: os capítulos se intercalam entre o presente (a história de Tate e o relacionamento com Miles) e o passado de Miles. Além disso, há algumas jogadas de palavras para darem efeitos, não é nada poético, é apenas estético, mas eu gostei dessa diferença na posição e no efeito que isso ocasionou.

     A Tate sabe desde o início o que é proposto a ela (basicamente: sexo e nada mais!) e ela aceita isso, devido à sua falta de tempo para se dedicar a um relacionamento. No entanto, é evidente que isso não daria certo e que ela acabaria se envolvendo mais. Várias vezes me perguntei: isso algum dia deu certo na história da humanidade? acho que nunca (haha)! Ela, contudo, ficava lamentando um pouquinho demais sobre a situação e isso gerou indecisão sobre como agir. Claro que é completamente compreensível isso, o processo de se apaixonar e se declarar é algo que gera dúvidas, isso, entretanto, incomodou um pouquinho na leitura, porque durou por muitos capítulos (praticamente em todos que eram só dela).

     À medida que a história foi evoluindo e que fomos conhecendo os motivos do Miles ser tão distante e não gostar de amar, tudo vai melhorando, a leitura flui e o que aconteceu no passado dele é algo que mexe com a gente, nos surpreende (como sempre já que se trata de um livro da Colleen Hoover) e nos mostra o lado mais feio e marcante do amor.

     Eu gostei muito dessa história em análise geral, não é o meu livro favorito da Colleen, mas entrou para um dos favoritos! Demorei alguns meses para fazer essa resenha (já que li o livro após a Bienal do Rio), pois esse livro despertou muitos sentimentos em mim, ri, chorei, encantei-me, sofri com os personagens, então foi aquela avalanche de sentimentos e eu esperei o tempo passar para conseguir escrever uma resenha mais analítica, do que sentimental (além disso, ainda estava cheia de emoções por ter conhecido a Colleen no lançamento desse livro e isso foi um dos sonhos de vida realizados ♥).

“A diferença entre o lado feio do amor e o lado bonito é que o lado bonito é mais leve. Faz você sentir como se estivesse flutuando. Carrega você. As partes bonitas do amor seguram você sobre o resto do mundo”.

“É assim que acontece quando uma pessoa desenvolve atração por alguém. Ele não estava em nenhum lugar e de repente, ele estava em tudo. Quer você queira ou não”.

No avião, porque combina demais com esse livro ✈ ♥

Emocionada com a Colleen ♥ e a minha senha número 0002 que eu consegui graças à ajuda de pessoas muito especiais! Obrigada mais uma vez Scheila, Caroliny e Ellen do Guardiã da meia noite

Quem também é apaixonado por esse livro? E quem está ansioso para a estreia do filme nos telões? (sim, virará filme!). Comentem!

Beijos ♥

Comentários (0)

Sorteio: O diário da princesa autografado

Publicado em 13/02/2016 às 14h42

     Oi gente, fiquei sabendo que muitos fãs da Meg Cabot não conseguiram ir às sessões de autógrafos que aconteceram no Brasil, em 2015. Por isso, eu decidi sortear aqui no blog, a minha primeira edição de “O diário da princesa” autografada. Foi bem difícil tomar essa decisão, mas como comprei a edição de colecionador, achei justo dar mais uma oportunidade a quem não conseguiu ir, já que eu não preciso ter duas edições autografadas!

Então, para participar do sorteio é bem simples basta seguir as seguintes regras:

• Ter endereço de entrega no Brasil;
• Curtir a página do blog no Facebook;
•Compartilhar a foto da promoção em modo público no Facebook;
•Seguir o Twitter do blog (opcional);
•Seguir o Instagram do blog;
• Se inscrever no Canal do blog no YouTube;
•Preencher o formulário abaixo (apenas uma vez):

OBS.: Se você quiser mais chances para ganhar, basta comentar nos posts do blog. Cada comentário acrescentará mais uma vez seu nome na lista do sorteio! (Lembrando que isso não é obrigatório, e sim opcional!).

Mais informações:
•Será apenas um(a) ganhador(a);
•O ganhador(a) receberá um e-mail para solicitação de dados, caso não responda em 72 horas um novo sorteio será realizado;
•O sorteio inicia hoje 13/02/2016 e encerra no dia 13/03/2016;
•O prêmio (Um exemplar de O diário da princesa autografado) será enviado em até 30 dias mais o prazo dos correios;
•O sorteio será realizado pela ferramenta Random.org;
•O blog não se responsabiliza por qualquer extravio por parte dos Correios, e caso o prêmio volte por erro de endereço, o vencedor fica responsável por pagar outro envio;
• Se vocês ainda tiverem alguma dúvida, enviem um e-mail para: contato@formuladafelicidade.com.br, eu responderei o mais breve possível.

 Boa sorte a todos! Beijos ♥

Comentários (10)

Fazendo meu filme em HQ #2 – Azar no jogo, sorte no amor?

Publicado em 10/02/2016 às 13h54

Editora: Nemo                                

Autora: Paula Pimenta

Número de Páginas: 80

Classificação: ♥♥♥♥♥

Onde comprar: Amazon / Saraiva / Submarino

Neste segundo volume de Fazendo meu filme em quadrinhos você vai descobrir uma característica dos personagens que ainda não conhecia... o time do coração de cada um deles! Alan se mete em uma briga de torcida e os amigos acabam se envolvendo. Todo mundo termina tendo muito azar naquele jogo, mas será que isso significa que - como diz o ditado - terão mais sorte no amor? Descubra nessa nova aventura da Fani e sua turma!

                Nesses últimos dias, andei emendando uma leitura na outra e lendo quase a madrugada inteira. Em um dos meus momentos de descanso entre uma leitura e outra, pensei que precisava de algo mais leve para ler. Então passando pela estante da minha irmã, tcharammmm, encontrei esse HQ lindo e pensei que essa seria a minha leitura leve. E foi muito bom fazer isso! Depois de ter lido, só pensava que eu preciso ler mais HQ’s entre um livro e outro.

                Isso tudo porque os HQ’s não exigem tanto de nós e da nossa imaginação, a gente já está vendo os personagens, então a leitura fica ainda mais fluída. Todos os livros da Paula Pimenta já nos dão essa sensação de leitura leve, rápida, divertida. Nós sempre entramos de vez na história e com os HQ’s essa sensação consegue ser ainda maior.

                Nesse HQ, nós conhecemos os times de futebol dos nossos personagens favoritos e temos mais uma vez, um pouquinho mais desse mundo que é o de Fazendo o meu filme. Como eu disse na resenha de Fazendo meu filme em quadrinhos #1 – antes do filme começar é maravilhoso poder matar a saudade e ter algo novo para ler desses personagens encantadores. Só acho que os HQ’s deveriam ser lançados em um menor intervalo de tempo e em maior quantidade, pois sempre queremos um pouquinho mais dessas histórias.

                Super recomendo esse leitura para quem quer ler algo mais leve e matar a saudade desse universo fofo de Fazendo o meu filme. Quem já leu também gostou? Comentem! Beijos ♥

Foto de quando eu conheci o Minerão. É nele que a história do HQ se passa!

Foto de quando eu conheci o Minerão. É nele que a história do HQ se passa!
Comentários (1)

Projeto: Na Estante

Publicado em 25/01/2016 às 12h50

                Oi, gente. Há um tempinho, existe uma aba a mais no home do site, a aba “Na Estante”. Hoje, eu vim explicar um pouquinho mais sobre ela e o que representa para mim. Como explicado lá na aba, ela foi criada para eu ter um controle geral das minhas leituras, os livros riscados eu já li, e os livros sem o risco eu ainda não li. Fiz toda essa contabilidade, pois estava perdida! Não sabia quais livros ainda faltavam ler e queria priorizar a leitura dos livros que estão há mais tempo na estante.

                Contabilizei somente os livros de literatura e leitura de lazer (desconsiderei os livros técnicos, de faculdade e de cursos de idiomas). Ao final dessa contabilidade, cheguei aos seguintes números:

Livros que tenho na minha estante: 219

Livros que já li: 140

Livros que ainda tenho que ler: 79

Livros que abandonei: 04

                Observando tudo isso, fiquei feliz em saber que a maioria dos livros eu já li; contudo, percebi também que o número de livros não lidos ainda é alto (considerando que alguns desses livros não lidos são do meu namorado e provavelmente nunca irei ler, o restante do número ainda me incomodou).

                Pensando em todos esses números, e que eu estou com um tempo curto para dedicar à leitura, idealizei um projeto de vida chamado “Na Estante”. Esse projeto basicamente visa à leitura desses 79 livros que ainda estão na minha estante e também à diminuição da compra de novos livros.

                Para tudo isso dar certo, reservei um bom tempo para pesquisar sobre dicas de como ler mais e encontrei algumas ideias muito boas (entre elas estão essas que você pode acessar nesse link). Através dessa pesquisa, adaptei e elaborei quatro regrinhas bem simples. São elas:

  • Evitar a compra de livros novos. Se muito necessário, comprar apenas 01 livro por mês (esse livro deve ser lançamento para justificar a compra) – ninguém é de ferro né gente, não irei ficar sem comprar um livrinho apenas (haha);
  • Otimizar o tempo para leitura - e para isso acontecer: devo reservar pelo menos de 30 minutos a 1 hora de leitura por dia ou ler 50 páginas/dia; carregar sempre um livro na mochila para ler em horas vagas (como por exemplo: no ônibus, na sala de espera da terapia, no intervalo de almoço);
  • Chegar em casa e usar as redes sociais por no máximo 30 minutos. Depois desse tempo, colocar o celular em modo avião (é incrível como perdemos tempo nas redes sociais e nos arrependemos depois de não ter usado esse tempo para ler);
  • Criar uma TBR (to be read) jar para sortear um desses 79 livros (que ainda estão por ler). Isso para quando eu chegar ao final de uma leitura e não conseguir decidir rapidamente qual leitura irei iniciar.

Então esse é o meu projeto “Na Estante” e, ao longo do tempo, irei postando para vocês como está sendo essa experiência. Deixei tudo registrado aqui para quem quiser entrar nessa comigo. Vamos? Depois me contem como está sendo para vocês também. Beijos ♥

Comentários (2)

Sob a rosa (Sociedade Secreta #2) - Diana Peterfreund

Publicado em 23/01/2016 às 19h35

Editora: Galera Record

Autor: Diana Peterfreund

Número de Páginas: 448

Classificação: ♥♥♥♥♥

Onde comprar: Galera Record / Saraiva

Amy Haskel agora faz parte da elite da Universidade de Eli. Ela é uma Coveira, integrante da sociedade secreta mais poderosa do país: a Rosa & Túmulo. Mas de repente os segredos da sociedade são divulgados em um site, chamando a atenção dos patriarcas da Rosa & Túmulo e até da imprensa. Para completar, outra Coveira desaparece misteriosamente... Alguém está vendendo os segredos da sociedade, e nenhum membro está a salvo... Todos são suspeitos.

     Iniciei a leitura desse livro com aquele pensamento que de não iria superar o primeiro volume e de que a Diana Peterfreund não iria me surpreender ainda mais. No final da leitura, percebi que me enganei mais uma vez. Demorei um pouco mais para me envolver na leitura em comparação ao primeiro, mas depois que me envolvi foi surpresa atrás de surpresa e simplesmente me encantei por esse livro.

     A Amy é uma personagem batalhadora, irônica e despreocupada. É sem dúvidas, a melhor personagem de YA contemporâneo que eu já li. Comparada a todas as marcantes personagens de YA, ela se destaca por correr atrás do que quer, não existe aquele “mimimi” e aquela enrolação para levantar e fazer o que tem que ser feito, sabe? Admirei muito isso, até porque ela vai lá e faz, nem sempre dá certo evidentemente, mas a vida real não é assim?

     Mais uma vez, fiquei encantada com o mundo das sociedades secretas. É evidente que a Diana Peterfreund não revela tudo e eu nunca esperei isso, afinal ela fez juramentos. Mas a forma como ela construiu a história sobre esse mundo faz essa série ser tão diferente e maravilhosa como ela é. Além disso, nesse livro, foi abordado ainda mais a questão de companheirismo que deve existir dentro da sociedade e foi divertido, encantador e até emocionante ler isso.

     Nesse livro, novamente, notei o quanto a escrita da Diana Peterfreund é inteligente e intensa. Ao iniciar a leitura parece que nos tornamos um personagem do livro, de tão envolvente e real que é esse mundo criado por ela; no entanto, é uma leitura que exige atenção e que merece essa atenção, isso porque a Diana tem umas visões de mundo e de conhecimentos gerais que merecem serem lidos e aproveitados. Além disso tudo, há a troca de nomes dos personagens (que são muitos!) dentro e fora da sociedade. Então segue a dica: é melhor aproveitar bem a leitura para entender e aproveitar tudo, esse não é o tipo de livro para ler nos 15 minutos que você vai estar no ônibus, entendem?

     Então, Sociedade Secreta – sob a rosa foi uma mistura maravilhosa de romance, mistério e aventura. É uma leitura obrigatória para os fãs de Dan Brown e de YA contemporâneos, e também para quem quer ler algo diferente e espetacular!

“Juramento de fidelidade: Por meio desta, juro e devoto solenemente meu amor e afeição, lealdade eterna e fidelidade imorredoura. Pela Chama da Vida e a Sombra da Morte, prometo apegar-me completamente aos princípios desta antiga Ordem, favorecer seus amigos e prejudicar seus inimigos, e colocar acima de todas as outras as causas da Ordem da Rosa & Túmulo”. Pág. 286

Quem de vocês já leu essa série? O que vocês acharam? E quem ainda está esperando como eu para ler? Me contem!

Beijos ♥

Comentários (0)

A esperança (Jogos Vorazes #3) - O final: Opinião sobre o filme

Publicado em 10/01/2016 às 22h55

Distribuidor: Paris Filmes

Direção: Francis Lawrence

Duração: 2h17min

Classificação: ♥♥♥♥♥

Ainda se recuperando do choque de ver Peeta (Josh Hutcherson) contra si, Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) é enviada ao Distrito 2 pela presidente Coin (Julianne Moore). Lá ela ajuda a convencer os moradores locais a se rebelarem contra a Capital. Com todos os distritos unidos, tem início o ataque decisivo contra o presidente Snow (Donald Sutherland). Só que Katniss tem seus próprios planos para o combate e, para levá-los adiante, precisa da ajuda de Gale (Liam Hemsworth), Finnick (Sam Claflin), Cressida (Natalie Dormer), Pollux (Elder Henson) e do próprio Peeta, enviado para compôr sua equipe.

     Eu sei que o filme já saiu dos cinemas e que eu demorei um tempão para escrever essa opinião (já que assisti ao filme no dia da estreia). Confesso que tenho uma dificuldade gigantesca em escrever resenhas e opiniões sobre os últimos livros/filmes de séries que gosto muito. É algo que eu penso por muito tempo e fico fazendo um retrospecto de toda a história, mas eu simplesmente não poderia deixar de escrever aqui, o que achei do final dessa trilogia maravilhosa.

    Jogos Vorazes é sem dúvidas a adaptação literária mais bem produzida e fidedigna dos últimos tempos. A personagem Katniss é um símbolo incomparável de coragem para a busca de um amanhã melhor. Além disso, a disputa de poder e o cenário político são uma sátira incrível que nos mostra o quanto a mudança pode só nos iludir e não ocorrer de fato, e o quanto devemos lutar até o fim por um futuro melhor. Nos tempos de hoje, acho que é essencial que sejam despertados esses sentimentos de liberdade nos jovens.

     Enquanto, a primeira parte de “A esperança” foi mais parada, essa segunda parte veio para tirar o nosso fôlego e nos empolgar com a guerra que veio para destruir o domínio do poder da capital. E todo o cenário/contexto político foi abordado de forma incrível e é por isso que eu gosto tanto dessa série.

     Mais uma vez, assim como nos outros filmes, houve um enfoque um pouquinho além do que havia nos livros, sob o triângulo amoroso Katniss-Peeta-Gale e mais uma vez eu achei desnecessário. Sei que há uma exigência maior dos fãs para que isso aconteça, mas para mim Jogos Vorazes é uma distopia que merece enfoque na personagem principal, no contexto político e só. E nem por isso, eu sou uma pessoa que não gosta de romance, posso explicar isso, falando que em A seleção (os que já leram entenderão), acredito que o foco deve ser o romance e que a distopia é apenas um plano de fundo.

     Na visão geral desse filme e do desfecho final da série, posso dizer que gostei muito das adaptações super fiéis que esses filmes foram. Sou encantada por todo esse mundo que Jogos vorazes nos mostra e no quanto é aberto um leque gigantesco para discussões, formações de opiniões e comparações políticas no mundo dos jovens de hoje (e o quanto isso é necessário e importante).

     Ainda odeio o fim da série e assistir a isso em tela grande só fez partir mais o meu coração. Acho que no final de tudo, aquele propósito da Katniss ter ido à arena por Prim se perdeu e por mais que a esperança de um amanhã melhor tenha sido despertada na população, foi retirada completamente da vida da Katniss.

     Então, esse filme foi uma super produção que fez eu me empolgar, chorar, amar e detestar ao mesmo tempo, e isso é o melhor de tudo: poder sentir todas essas emoções e classificar essa como uma série favorita da vida.

Vocês que leram acharam fiel? Superou as expectativas de vocês? E quem não assistiu ainda está muito ansioso(a)? Comentem, quero saber a opinião de vocês!

Beijos ♥

Trailer do filme:

 

 

Comentários (1)

show normalcase tsN left fwR|show tsN fwR center|left fwR show|b04 bsd|||news c10 fwB fsN|normalcase uppercase fwB|c10 fwB|login news normalcase uppercase fwR|tsN normalcase uppercase fwB|normalcase uppercase c10|content-inner||