Cidades de Papel: Opinião sobre o filme

Publicado em 01/08/2015 às 19h18

Distribuidor: Fox Filmes

Direção: Jake Schreier

Duração: 1h49min

Classificação: ♥♥♥♥

     A história é centrada em Quentin Jacobsen (Nat Wolff) e sua enigmática vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman (Cara Delevingne). Ele nutre uma paixão platônica por ela. E não pensa duas vezes quando a menina invade seu quarto propondo que ele participe de um engenhoso plano de vingança. Mas, depois da noite de aventura, Margo desaparece – não sem deixar pistas sobre o seu paradeiro.

     Oi Gente, esse é o primeiro post retrospectivo que vou fazer, isso porque preciso falar desse filme para vocês. Li Cidades de Papel na maratona literária de fevereiro, queria ler mais algum livro do John Green, além de A culpa é das estrelas. Como não gostei tanto de A culpa é das estrelas, fui ler Cidades de Papel sem muita expectativa. Posso dizer que não amei a história, mas ela também não me decepcionou. Para vocês entenderem: não achei uma história incrível, mas, de certa forma, algumas mensagens transmitidas no livro me tocaram de uma forma diferente.

      Cidades de Papel é uma mistura de filosofia e mistério, tudo isso mostrado em uma incrível história de amizade. Considero essa história de amizade muito maior e mais interessante do que o amor platônico de Quentin por Margo e sinto que foi exatamente isso que o John Green planejou para esse livro/filme. Além disso, aos que odeiam a Margo, não odeiem! Acho que existem motivos suficientes para ela ser do jeito que é.

     Com essa experiência da leitura, fui para o cinema um pouquinho ansiosa e posso dizer que o filme me surpreendeu e muito! Tudo foi bem pensado e feito, desde a trilha sonora até o roteiro super fidedigno. Mas o que mais me encantou foi a entrega de todos os atores aos papéis, deu para perceber (e até sentir) que eles fizeram esse filme com muita felicidade e todos foram impecáveis.

     Quanto à adaptação literária tudo que precisava ser posto do livro no filme foi feito e o que foi mudado me agradou demais, esse filme foi extremamente divertido (ri agora aqui lembrando de umas partes) e eu sai do cinema leve, acreditando e lembrando de amizades incríveis que tive na adolescência.

     Por isso tudo, pude concluir que o John Green não me conquista pelos livros e sim pelos filmes (haha), a equipe da Fox fez um grande trabalho, mas acho que a presença incessante do John nos sets de gravação permite com que a história fique ainda melhor.

Vocês que leram acharam fiel? Superou as expectativas de vocês? E quem não assistiu ainda está muito ansioso(a)? Comentem, quero saber a opinião de vocês!

Beijos ♥

Trailer do filme: 

 

"Essa é a sua zona de conforto, é desse tamanho, Quentin, todas as outras coisas que você quer do mundo estão soltas lá fora".

“Isso sempre me pareceu tão ridículo, que as pessoas pudessem querer ficar com alguém só por causa de beleza. É como escolher o cereal de manha pela cor, e não pelo sabor."

“Ela talvez gostasse tanto de mistérios que acabou por se tornar um.”

Enviar comentário

voltar para HOME

show normalcase tsN left fwR|show tsN fwR center|left fwR show|b04 bsd|||news c10 fwB fsN|normalcase uppercase fwB|c10 fwB|login news normalcase uppercase fwR|tsN normalcase uppercase fwB|normalcase uppercase c10|content-inner||